sábado, 10 de dezembro de 2011

Hotel Fazenda Betânia, uma ótima opção para o Reveillon e com bom preço!


            Iaê?! Blz?!

            Tá! Confesso: sou suspeito para falar da Fazenda Betânia, pois conhece bem a história do local e não consigo enxergar como um simples Hotel Fazendo (até porque de simples não tem nada!) mas vejo como a história e a realização de um sonho de uma família.Posso dizer que vi esse bebe engatinhando e é muito bom ver ele chegando cada vez mais longe.
            Só resumindo, conheci a Fazenda Betânia e Fabio e Roberta, pouco depois da época que me apaixonei por São Benedito do Sul (SBS), pela cidade e pelas quedas d´água. Culpa da figuraça de Daciel, pois fiz um curso com ele e ao final, ele fez uma visita técnica para sua pousada na cidade, voltei maravilhado.
            Algum tempo depois começamos na faculdade o nosso TCC, que era um plano de desenvolvimento turístico de uma localidade a nossa escolha, Claro que escolhi SBS sem pensar duas vezes e ainda consegui convencer a Maga, Serginho, Renatinho e Adriana nessa loucura, digo loucura pois a cidade fica a 180km do Recife , nós éramos o grupo que tinha a localidade mais distante e quase que nossa Mestra Dayse não nos deixa fazer, devido a isso. Mas brigamos contra tudo e todos e levamos a diante.
            E um pequeno abre aspas: E quantas histórias temos dessas visitas hein galera? Cada vez que íamos levávamos outra pessoas para conhecerem. Tudo se encerra e remete a rua do lazer (kkkkk. desculpa pessoal, piada interna, não resisti), mas não falarei mais disso, afinal, merece um outro post sobre essas aventuras e sobre café da manhã na cama (kkkkk, desculpa! Fiz de novo).
            Na época a Fazenda Betânia era só Fazenda e tinha uma fábrica de polpa de frutas, conhecemos o pessoal e a fazenda pois o Fabio era o prefeito da época e nos recebeu de braços a abertos para nos falar do turismo no município, mas o que nos chamou a atenção era a Roberta falando sobre a transformação da Fazenda em Hotel Fazenda, tinha muita garra, muito sonho, muita paixão e muita vontade naquelas palavras.
            Por tudo isso, seria injusto da minha parte, querer descrever com simples palavras o que é ir e se hospedar no Hotel Fazenda Betânia, porque muito mais que cama e café da manhã, eles tem atenção aos detalhes, inclusive aos pequenos, um atendimento personalizado e a hospitalidade aflora no local. Tudo isso vai tornar sua experiência inesquecível.
            De todos os hotéis fazenda que conheço digo que, sem sombra de dúvidas, esse é o meu favorito, só não é melhor por culpa minha, pois deveria ir, pelo menos, duas vezes por ano, e não faço isso. Mas próximo semestre voltarei a levar meus alunos para visita técnica nela.
Quem nunca foi, não sabe o que está perdendo e deixando de viver, reserve pelo menos um final de semana em 2012, para comprovar tudo que descrevi, tenho certeza que vocês não vão se arrepender. Ou, como já indiquei, a diversas turmas minhas, façam seu dia de confraternização lá, seja de final de semestre ou de fim de curso.
E para quem quer algo diferente nesse Reveillon, algo novo, não aguenta mais as mesmas festas e/ou as mesmas pessoas, mas devido ao dia que já estamos do ano, só acha pacotes caros em hotéis, isso quando tem vaga. Dá uma olhada na opção que a “Betânia” oferece:



Muito bom! Tanto o pacote, quanto a duração, assim como o preço! E olhe que é pensão completa, ou seja, stress ZERO. Preocupação nenhuma.

Como já tem um tempo que não vou, confesso, que não sei se está informação ainda procede, mas umas das coisas que mais me agradava lá, era o fato de celular não pegar, traduzindo: Você conseguia se desligar, desprender, se desapegar (como preferir) do mundo e curti só a pessoa (ou as pessoas) que estão vivendo aquele momento com você. Isso hoje em dia é muito raro.

Até a próxima.

Abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaço

Com PERNAMBUCANIDADE

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Campeonato PE de Natação Master – Bem mais que só nadar!


            Iaê?! Blz?!
           
No último final de semana, voltei depois de quase 3 anos, a participar do Campeonato Pernambucano de Natação Master, em Recife, e na piscina de 50 metros. Tensão e nervosismo de iniciante, apesar de ter tido a competição no SESC para aquecer.
Em dois dias, nadei 5 provas: Minhas 3 individuais e o técnico ainda me colocou em 2 revezamentos. Confesso que no fim das contas gostei dos meus resultados, até porque ano que vem, se tudo der certo, participarei do circuito completo e estarei melhor preparado e com tempos mais baixos. Os resultados foram os seguintes:
1 – Revezamento 4 x 50 livre misto – 1º lugar
2 – 100 metros livre – 2º lugar
3 – 50 metros borboleta – 3º lugar
4 – Revezamento 4 x 50 livre masculino – 4º lugar
5 – 50 metros livre – 6º lugar


Ironicamente gostei mais dos meus tempos e desempenho nas provas que não ganhei medalha do que nas provas que ganhei, isso porque na competição do SESC, uns 15 dias atrás, fiz 29”70 nos 50 metros livre e em piscina de 25 metros, e na natação a lógica é sempre aumentar o tempo em piscina de 50 metros.
No primeiro dia, apesar de todos os contratempos da semana e do dia, consegui nadar para 29”86 nos 50 metros livres, e no segundo dia, depois de nadar os 50 metros borboleta, os 100 metros livres, fui nadar o revezamento 4x50L Mas., isso com intervalo em torno de 5 minutos entre uma prova e outra, e consegui baixar ainda mais o tempo, fiz 28”alto, muito bom!
Mas a melhor notícia mesmo foi depois dessas três provas eu resolvi aferir a minha pressão e estava 13 x 8 só, Meu normal é 12 x 8 e depois de tanto esforço isso e praticamente normal.
No meu caso os resultados e medalhes nem são o mais importante, claro que quero ganhar, estar sempre no pódio, ser campeão, mas voltei a nadar por uma questão de saúde. Não resolvi começar o meu regime porque estava gordo e queria ficar magrinho.
 Na verdade desde quando Daniel nasceu, meu modo de enxergar o mundo mudou e muito, e comecei a ficar com medo de ter um ataque cardíaco e deixar ele sem pai, ou mesmo de não ser um bom exemplo para ele em termos de qualidade de vida e alimentação saudável, que moral eu teria para ensinar algo para ele do modo que estava?
É por isso que pela primeira vez meu regime está dando certo, pois não estou fazendo por mim e sim por ele.


As competições da natação são só o estimulo a mais para que eu possa continuar no regime e continue me movimentando e exercitando, então as voltas as piscinas e as competições foi mais do que buscando ser campeão, foi para garantir que Daniel tenha um bom exemplo, dentro de casa, de que esporte é saúde e de que é possível ter uma alimentação saudável e gostosa.
Além de garantir que ele não perca o pai com um ataque cardíaco fulminante, pelo menos não no que depender dos meus cuidados.
Fica a certeza de que valeu a pena voltar a nadar e que os resultados nas competições próximo ano serão bem melhores!

Até a próxima.

Abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaço

Com PERNAMBUCANIDADE

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

A Volta do ex-gordinho as piscinas!


             Iaê?! Blz?!

Olha como eu to metido! Já me chamando de ex-gordinho. KKKKKKKKKKKKKK 
Mas falando sério, muita gente falando da volta as piscinas de Ian Thorpe, Michael Klim e da Janet Evans, porém volta importante mesmo e pouco noticiada foi a minha! Kkkkkkkkkkkkkk
Depois de quase 3 anos longe das competições nas piscinas, criei vergonha na cara e resolvi voltar a treinar e, claro, competir. Estava muito gordo e precisava fazer algum exercício, e como meu espírito competitivo não me deixa só treinar, voltei as competições.
Teve uma competição no SESC Piedade e a turma daqui foi. Nadei duas provas, os 50 metros livre e os 50 metros peito, consegui um ouro e uma prata, respectivamente.
Tá certo que a competição não tinha um nível muito alto, mas fiquei feliz com minha dedicação nos treinos e meu resultado por lá. Apesar de antes das provas está com o nervosismo de iniciante, como a muito não sentia, mas fiz um tempo muito bom, especialmente no livre.
E antes que algum engraçadinho diga que nadei a prova sozinha e a outra contra um adversário apenas, segue o vídeo que o Thiago filmou, Valeu Thiago. E para quem não me reconheceu ai, sou o de sunga cor de vinho e toca branca.





Esse final de semana vai ter o teste de verdade, dessa volta: Será o campeonato Pernambuco de Masters, lá em Recife e o grande detalhe é que agora, finalmente, volto a competir nos 50 metros borboletas, minha prova favorita. Depois digo como foi!


Até a próxima.

Abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaço

Com PERNAMBUCANIDADE!

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Ah! A Grécia....


Iaê?! Blz?!

Todo mundo que me conheço sabe que gosto de comer e viajar (quem não gosta?). E acho que tenho alguns lugares que preciso conhecer ou voltar. Quando meu filho (ou filhos) tiverem um pouco maiores, uns pré adolescentes tem dois lugares que quero levá-los, até porque sei que Marcella também é louca para conhecer: Beto Carreiro World e a Disney.
No Brasil, ainda, tem outros lugares que quero viajar em família: Manaus e o Ariau Amazon Tower, Festa dos Bois de Parentins e Foz do Iguaçu.
Mas tem duas localidades que desde que me entendo de gente prometi, a mim mesmo, que vou conhecer: Taiti, na verdade sempre que disse que esse seria o local da minha lua de mel, mas não foi possível, quem sabe comemorando 10 anos de casado?
E o segundo lugar, não queria apenas ir fazer turismo por lá, gostaria de ter a chance de ficar pelo menos uns 30 dias, pois sou completamente apaixonado pela história, cultura e gastronomia Grega. Leia tudo o que posso, tenho uma, pequena, coleção de filmes que se passam na Grécia e alguns livros de receitas gregas, mas é pouco, quero viver e aprender tudo isso in-loco.
Vendo as fotos abaixo da Grécia e da vista que temos de alguns restaurantes fica fácil entender toda essa minha vontade....










 

Aproveitem as fotos e viagem no resto do feriado!



Quem quiser saber mais segue uns links sobre a Grécia:

E mais alguns links sobre Restaurantes na Grécia


Até a próxima.

Abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaço

Com PERNAMBUCANIDADE!

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Você já viu um dos primeiros óculos para natação?


            Iaê?! Blz?!

            Essa eu vi no FB do Swim Channel:


Os primórdios dos óculos para natação.
Construídos em bambu e madeira curvada. O Modelo utilizado no incio do século passado pelo nadador e surfista, Duke Kahanamoku.
Embora primitivo, o nadador conseguia utilizá-lo durante mais de duas horas de treinamento.
Exposição no Hall of the fame.


Pensando Bem: Saca a perspicácia do cara em criar isso. Hoje nenhum atleta pensar em nadar sem, cada vez temos óculos mais modernos, mas inventar isso no século passado é demais.


Até a próxima.

Abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaço

Com PERNAMBUCANIDADE!

sábado, 15 de outubro de 2011

AOS MESTRES COM CARINHO! A Faculdade - Parte II


Iaê?! Blz?!


Continuando minha singela homenagem a essas grandes pessoas, agora chegando na faculdade, finalmente chego na faculdade. Não podia deixar esta parte de fora.
Sei que a relação aluno-professor é completamente diferente, não temos contato durante tanto tempo, nem aquela proteção habitual de colégio, até mesmo por isso, esses prof.º nem sabe o quanto interferem e/ou mudam nas nossas vidas.
Logo no primeiro período tive o professor que acabei votando para ser o nosso homenageado. Valdir, de sociologia, chegamos na faculdade imaturos, pensando que igual colégio e levamos logo uma porrada dele, com um livro para ler nos primeiros 15 dias de aula, no 1º já teve trabalho, mas ele conseguiu suscitar diversas discussões e debates bem interessantes, por sinal até hoje uso alguns desses debates em sala de aula.
Ainda no 1º período tivemos contato com Felipe Dantas - Spock, nosso professor de turismo por 2 semestres, falem o que quiser dele, mas a verdade é apenas uma: Quando o cara tava a fim de dar aula, até hoje não tive professor melhor na área.
No 2º período apareceu outro muito bom, Claudio Lira, tinha um defeito enorme, mais não vem ao caso, era de Português II, cada aula massa, apesar de no sábado às 7h30. A verdade é que entendi a essência da sua aula, no mestrado e como isso me ajudou nessa fase.
E o que falar da minha professora de Espanhol (acho que era Fátima) nos ensinou 2º períodos, tinha a preocupação de trabalhar a língua aplicada ao turismo, uma das poucas que não tinha matéria especifica mas que fazia a ligação com o turismo. Foi a única professora que briguei na vida, que pecado! Me arrependi na outra aula, levei flores e chocolates para me desculpar, ainda bem que ela entendeu!
Prof.º de direito, Maura! Ùltimo período do curso, todo mundo já sem saco, só querendo terminar, ai vem uma prof.ª que pegou no meu pé, e muito! Marcação cerrada em professora! Me ensinou a ser gente! Mas passei em Direito ta? Alias meu trabalho e o de Serginho foi o único 10 da sala e o único que falava de direito no turismo.
Até hoje me lembro de Janilto de História da Arte: “O bom entendimento faz parte da avaliação”, com certeza minha Maga lembra muita dele, não é Maga?
E Dayse, basta de dizer que hoje nas minhas aulas de turismo, nas minhas visitas técnicas, no incentivo aos alunos para a produção de pesquisa e envio de artigos científicos a congressos, me espelho sempre nela. Acho que isso já diz tudo! Pegou muito no meu pé, mas me ajudou na mesma proporção a ser quem eu sou hoje. Pena ter pedido o contato com ela.
E na pós? Apesar de um relacionamento mais rápido e “simples” posso dizer que pelo menos me moldaram como o professor que sou hoje: Cristiane Gomes e Victor Andrade, são muito feras e ótimos professores.
Desejo a todos os mestres que passaram pela minha vida: felicidades, suce$$o, saúde e toda a felicidade do mundo. Obrigado pelos ensinamentos e grato pela paciência e atenção, mesmo quando não queríamos nada!

Até a próxima.

Abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaço

Com PERNAMBUCANIDADE!

AOS MESTRES COM CARINHO! A época do Colégio - Parte I


Iaê?! Blz?!


Segue minha homenagem, nomeado alguma dessas pessoas que nem sabe o quão foram e são importantes na minha vida! Esse post vai para os professores da época de colégio, especialmente do Salesiano, onde passei os melhores anos da minha vida. Colégio é Colégio e nunca vai ter igual, sem obrigações, somente fase de descobrimento e experiências. SAUDADES!
Na época de Salesiano as lembranças mais fortes que tenho são da minha baba do 1º período do pré-escolar (isso mesmo, tinha 2 anos e meio quando ela cuidava de mim!), Tia Miriam, lembro muito dela pois ficou no colégio até quando me formei no meu 3º ano e sempre lembrou de mim!
Na 5ª séria, teve a Prof.ª Eliane de português, que tinha sido nossa prof.º de artes (ou foi de dança?) no primário, uma negra, baiana, bem alegre e nos incentivava bastante especialmente para fazer redações, lembra Everton? E na hora da prova, a turma filando e ela: “olha a macaxeira!” a turma fazia que ia filar só para ver ele gritando. Depois de vários anos tive a chance de reencontrá-la por acaso, e ela ainda lembrava de mim.
O Grande Tales, um injustiçado, se sou um apaixonado por história e quase fiz vestibular nessa área a culpa é dele, lá na 7ª série. Alvirrubro doente, lembro quando por conta de uma aposta teve de usar a blusa da coisa e desfilar pelo colégio. Por falar nisso essa foi a minha pior série em termos de notas, passei o ano quase todos de castigo, especialmente em Matemática, mas não culpo de forma alguma meu professor que era o Cícero, pelo contrário, é outro que me serve de exemplo.
Quando morei nos EUA, quase todos os professores me marcaram, pela atenção e por gostarem realmente do que fazem, só que lá a realidade dos professores é bem diferente e bem melhor que a do Brasil, sem condições de comparar. Mr. Knox. História, Mrs Lo Bianco, esportes, e ainda teve a de Biologia, detalhe que os três me indicaram como melhor aluno do mês das turmas deles. Ainda teve a de espanhol e as duas de inglês que eram exemplos também, pena que não lembro o nome delas.
Quando voltei ao Brasil o professor que mais teve paciência e dedicação comigo foi o Prof.º Carlos de Química, no 1º ano e no 2º ano tivemos a volta do “carrasco” Hernani, na mesma matéria e que tinha sido nosso professor na 8ª série. Esse prof. era ótimo, porém um perseguido pelos alunos vagabundos e que não queriam nada, pois só passava quem realmente estudava e isso incomodou muita gente. E Eber, no 3º ano, meio louco, mais um apaixonado por ser prof. e pela química. Se hoje não odeio química por completo devo a esses três caras.
Como não lembrar de do grande Edgar, prof.º de Matemática e Física do meu 2º ano, esse cara era uma figura, um super professor em sala de aula, exigia muito dos alunos, mas ensinava muito mais! No 3º anos para essas disciplinas veio o Rogério, um cara que sabia fazer amizade dos alunos, ganhar nossa confiança, sabia falar nossa linguagem.
Ainda no 2º ano tivemos o Carlos de história, prof. baixinho e invocado, mas sabia muito e passava melhor ainda, conseguia nos colocar dentro da história quando via nos dar aula.
Na geografia foi Robson, esse cara posso dizer que me salvou mesmo, com certeza ele nem lembra desse pequeno gesto para ele, pois para mim Fo grande. Um dia na aula dele, ele me pegou e colocou na 1ª fileira ao lado da Dani Van Lume, a maior CDF da sala (e como eu tinha raiva daquele menina, que fique bem claro que hoje adoro ela, não é isso querida doutaranda!) pois ele disse que eu tinha um potencial enorme e estava desperdiçando sentando sempre lá atrás com a turma da bagunça, e toda aula dele tinha que sentar com ela, acabei ficando na frente além da aula dele.
Falando em geografia, como não falar em Seba, no 3º ano, o cara era louco por geografia, ensinava bem demais, não deixava nenhum aluno com dúvida, me lembro até hoje o esporro que ele me deu quando disse que tinha errado 6 questões de geografia na 2ª fase da UFPE.
Uma em especial merecia um post só para ela, só sabe o que é e quem é esta mulher e professora quem estudou com ela e não foi pouca gente, já está dando aula no 3º ano a uns 20 anos, e continua trabalhando e se reciclando.Querida e amada mestra Marlede, para a senhora minha eterna admiração.
Infelizmente não consigo lembrar de todos que desejaria, especialmente aqueles do pré escolar e primário (eu sei que hoje mudou o nome, mas era assim!), mas lembro pelo menos uma: Tia Zita, minha professora da alfabetização, literalmente essa mulher me ensinou a ler e escrever.
Os que esqueci o nome, mas me marcaram de forma positiva também. Por favor, turma do Salé, a prof.ª de literatura do 1º ano e o prof.º de Inglês do 1º e do 3º ano alguém lembra o nome dos dois? A prof.ª de história da 5 série, alguém? Lembro de uma vez que fui o único na sala a tirar 10,00, ela me colocou lá na frente, me deu parabéns, beijo e fez a turma me aplaudir. E aquele de basquete que era um negão e que infelizmente morrei de câncer, na época dele vários jogadores chegaram a seleção PE e Brasileira, alguém lembra? E as nossas professoras do primário não consigo me lembrar de nenhuma...
É preciso falar também meus professores dos esportes que fiz, pois me ensinaram bem mais que só praticar esportes, me deram lições de vida muito maiores que carrego até hoje: Nagai (Judô), Pezão e Mario (handebol), Valmir – figuraça - Lucinha - me incentiva apostando comigo os tempos que eu ia fazer, foram vários picolés Kibon nessa brincadeira - Zulene e Gilberto - desculpa por tudo Giba, você sabe porque (todos de natação) e ainda teve Marcinho que era de Educação Física, foi o 1º a mostrar que EF não era só correr em volta do campo.
E o nosso querido Gilmar? A nosso Gilmar. Prof.º de religião, num colégio católico, matéria obrigatória e quase ninguém leva a sério, além disso era prof.º de 1ª eucaristia, crisma, dava uma força ao grupo jovem e coordenava a banda na missa. Mas quem enjoava dele? Queria ver alguém faltar ou gazear uma aula dele! E Não era que tínhamos medo não, pelo contrario, era muito respeito e especialmente porque ele fazia a aula dele ser atrativa.
Menção honrosa para os nossos coordenadores, claro que passei por vários, Mas três me marcaram mais fortemente: Fernando na 7ª e 8ª série, podem dizer qualquer coisa dele, mas era um grande coordenador, com sua calma e tranqüilidade e no 1º e 2º a correria de Edna, totalmente diferente de Fernando, mas era uma pessoa altamente compreensível e amável .
E mais um que merecia um post só para ele O GRANDE MESTRE LOPES! GRANDE MESTRE! AQUELE ABRAÇO! Prefiro nem tentar definir Lopes, palavras seriam poucas para ele, só uma curiosidade: Se eu chegar lá hoje, aposto, que ele vai lembrar meu nome e sobrenome, além de saber, ainda, de quem eu sou irmão, lembrando o nome e o sobrenome dela também ,e claro o ano que nos formamos.
A verdade que a melhor fazer de nossas vidas é a época do colégio, vamos ter as melhores lembranças os melhores amigos, melhores professores, teremos nossa primeira vez em varias coisas. Pena que só nos damos conta disso quando acabamos essa faz, tarde demais...

Até a próxima.

Abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaço

Com PERNAMBUCANIDADE!

Professor, parabéns pelo seu dia e obrigado por tudo!


            Iaê?! Blz?!



            Quero deixar aqui meu agradecimento a todos os meus professores que ajudaram na minha formação pessoal e profissional e a construir meu caráter.
            Para tentar homenagear alguns deles vou publicar uns textos que fiz para essas grandes figuras, indispensáveis, na nossa vida.
            Agradeço a todos, hoje sou professor e me espelho em muitos deles para ter meu modo em sala de aula.

Acabei lembrando dos caminhos que trilhei e especialmente dos professores que me fizeram ser o professor que sou hoje, tendo me mostrando o que fazer e/ou mostrando o que não fazer.
Claro que citar todos os professores que passaram em minha vida seria impossível, primeiro porque não lembro e segundo porque o post ficaria infinito. Mas tem alguns da época de Salesiano, do colégio nos EUA, na graduação e na especialização, que realmente me marcaram e que me espelhei muito e gostaria de fazer um pequena homenagem a eles aqui.
Depois que entrei no universo acadêmico, me disseram que só posso chamar de Mestre quem faz mestrado. Ah! Que saber? Quem se importa! Essas pessoas foram verdadeiros mestres na minha vida e me fizeram que eu sou hoje! Muito obrigado a todos eles.

Até a próxima.

Abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaço

Com PERNAMBUCANIDADE

domingo, 9 de outubro de 2011

Eu e Daniel comemorando o Gol de empate do Santa contra o Treze


            Iaê?! Blz?!

            Domingo, do primeiro jogo decisivo do Santa, um jogo tenso, nervoso, levamos 2 x 0 depois 3 x1, esperança chegou a ir embora, as o time de Guerreiros foi lá e conseguiu o empate. Mas o melhor momento da tarde foi poder comemorar com Daniel o gol de empate do Santa.



Até a próxima.

Abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaço

Com PERNAMBUCANIDADE


quarta-feira, 5 de outubro de 2011

A incrível relação Professor-Aluno

            Iaê?! Blz?!

            Já que todas as minhas provas acabaram ontem, essa é especial para comemorar o fim da 1ª metade do semestre.
            Vi e foi inevitável pensar se a minha relação com meus alunos também é assim.



            Mas parece que é sim, não é alunos de Lazer, Turismo e melhor idade / Hotelaria Hospitalar.
  

Até a próxima.

Abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaço

Com PERNAMBUCANIDADE



terça-feira, 4 de outubro de 2011

Dica para um jantar romântico


Iaê?! Blz?!


            Essa vai especial para quem gosta de fazer um jantarzinho para dois, os detalhes fazem a diferença e podem ser simples assim:


           
Até a próxima.

Abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaço

Com PERNAMBUCANIDADE

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Geração Barriga: Eu to nela e você?


Iaê?! Blz?!




            Essa eu vi no Blog do Braian e me descreve muito bem, infelizmente.


            Eu to na fila para esperar subir na escada rolante, quem sabe em breve não faço companhia aquele ser solitário.

Quero ver se mudo isso em mim.

.Até a próxima.

Abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaço

Com PERNAMBUCANIDADE

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

4ª Semana Integrada da AESGA

                Iaê?! Bkz?!

                Atenção alunos:




Até a próxima.

Abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaço

Com PERNAMBUCANIDADE