domingo, 3 de julho de 2016

SEASON FINALE - Stress S/A 1ºT E03

IaÊ?! Blz?!


Hoje é dia de Season Finale! Está no ar a o último episódio da 1ª Temporada de STRESS S/A, produzida pelos alunos de Administração da FAGA/AESGA.

Inscreva-se no nosso canal!

Adaptado como série, dentro do projeto de Ensino e Pesquisa LCSA - Luz, Câmera, Som e Administração, o vídeo foi produzido pelos alunos na Disciplina Recursos Humanos I, do Professor: José Carlos no 4° Período do curso de Graduação em Administração na FAGA/AESGA.

Alunos participantes
Abdon Cordeiro de Lima Neto
Ana Débora Cordeiro Braga
Antonio Paulo de Almeida
Camila Marques de Gusmão
Ivaldo Bruno Alves da Silva
Jéssica Martins Gama
Vanessa Matias Ferreira


Part. Especial de Leo

um abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaço

Até a próxima

Com PERNAMBUCANIDADE


domingo, 26 de junho de 2016

Stress S/A - S01 E02

Iaê? blz?



Boa noite



Saiu o segundo episódio da primeira temporada de Stress S/A



Acompanha lá e se inscreva no nosso canal







Até a próxima



Abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaços



Com PERNAMBUCANIDADE

terça-feira, 21 de junho de 2016

Stress S/A - S01 E01

Iaê?! Blz?!



Assistam ao primeiro capítulo da mini "novela", produzida pelos alunos do curso de Administração em Empreendedorismo da FAGA / AESGA



Todo domingo a noite um capítulo! Inscreva-se no nosso canal!





Adaptado como mini novela dentro do projeto de Ensino e Pesquisa LCSA - Luz, Câmera, Som e Administração.


Vídeo, produzido pelos alunos na Disciplina Recursos Humanos I, do Professor: José Carlos no 4° Período do curso de Graduação em Administração na FAGA/AESGA.

Alunos participantes

Abdon Cordeiro de Lima Neto

Ana Débora Cordeiro Braga

Antonio Paulo de Almeida

Camila Marques de Gusmão

Ivaldo Bruno Alves da Silva

Jéssica Martins Gama

Vanessa Matias Ferreira

Part. Especial de Leo

Até a próxima

abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaços

Com PERNAMBUCANIDADE

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Como definir o problema de pesquisa

Iaê?! Blz?!




Estamos começando, oficialmente, o canal no youtube do projeto de Ensino e Pesquisa Luz, Camêra, Som e Ação, com os professores Guga Pessoas e Virginia Spinassé, do curso de Administração da Faculdade da Ciência da Administração de Garanhuns - FAGA / AESGA.
No primeiro vídeo, o professor Guga vai falar sobre o que é o problema de pesquisa e como defini-lo, para começar uma investigação em Administração. Essa base inicial serve para fazer seu projeto de pesquisa independente da modalidade do trabalho, artigo científico, monografia ou outros.
Esse bate papo não são com alunos do projeto, pois no dia que aconteceu com eles tivemos problemas técnicos.
Se inscreva no nosso canal, em breve vídeo dos alunos.

Até a próxima

abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaços

Com PERNMABUCANIDADE

segunda-feira, 13 de junho de 2016

O Curso de Reaprendizagem Criativa do Murilo Gun

Iaê?! blz?!


A gente nasce criativo e desaprende com o tempo... só que o mundo tá mudando e vai começar a exigir cada vez mais do ser humano ter a criatividade desenvolvida como uma habilidade.
A necessidade de reaprender a ser criativo é algo fundamental pra você se diferenciar, seja no trabalho, no meio empreendedor ou mesmo nos círculos pessoais.
As pessoas que não se importarem com as qualidades humanas, aquilo que difere os seres humanos das máquinas, vão ser engolidas por elas.
Fiz o curso do Murilo Gun e fiquei completamente fã dele, um curso realmente transformador, muito bom. Mais do que o conteúdo que foi visto, são os questionamentos levantados e as reflexões que somos obrigados a fazer pelas nossas escolhas, atitudes e posturas na vida pessoal e profissional.
Me fez rever várias ações minhas como pai, marido e essencialmente como professor, semestre que vem volto para disciplina jogos de negócios e já estou planejando como farei tudo diferente de como foi com vcs. Ele está abrindo, hj, uma nova turma e na última as vagas se esgotaram em torno de 2 horas depois que começou.

Criatividade é uma habilidade essencial no mundo inovador que estamos vivendo e recomendo fortemente que você preste atenção nisso e entenda que ela pode ser aprendida e masterizada.
Um dos grandes poderes de um curso online é a comunidade que se forma e nesse curso você vai poder não só fazer parte da comunidade online do curso de criatividade mas poder ter a oportunidade de ir no evento ao vivo #hardworkpapai do Gun e estar presente com pessoas que estão pensando diferente e querem o novo.
            P.S: Você tem garantia de 30 DIAS CASO NÃO GOSTE, só mandar um e-mail que ELE TE DEVOLVE SEU DINHEIRO SEM QUESTIONAR.
            Boa Escolha!
            Até a próxima!
            Abraços

            Com PERNAMBUCANIDADE
#Criatividade #reaprendizagemcriativa #murilogun #cursoonline #hardwork #tranformação #fizegostei #indico #recomendo

sábado, 11 de junho de 2016

Emprego exigia datilografia, e no futuro? Do que vc precisará?

Iaê?! Blz?!

O quanto é louco pensar que anos atrás as pessoas se destacavam porque tinha um curso de datilógrafo, mais recente tinha que saber digitar como se fora na máquina de escrever, lembra disso? Claro que não, se vc está lendo isso aqui, não deve ter pego essa época. E hoje fico pensando que maus filhos são da geração touch screen e provavelmente nem vão precisar de notebook para fazer as coisas, teclado pode ser peça de museu.

Se o mundo mudou, e a tecnologia vem num crescimento exponencial, as profissões também mudaram, e muitas acabaram, é a regra da vida, uma invenção disruptiva vai sempre "destruir" algo. Se você acha ruim seu celular acordando você, tenta imaginar qnd era uma pessoa que ficava batendo na sua janela até vc levantar e mandar ele parar?












Quais dessas profissões já extintas você consegue saber o que eram?

e no futuro? Com será? O que o mercado de trabalho vai exigir de vc? quais as habilidades vc precisará ter para ser um profissional de destaque?

Clique Aqui e assista o vídeo para responder essas e outras questões.

 Assista a esse vídeo para ter essas respostas

Até a próxima

Com PERNAMBUCANIDADE

Abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaços

#reaprendizagemcriativa #criatividade #sercriativo #futuroprofissional #futurodoemprego #habilidadesdofuturo #avançostecnológicos


quinta-feira, 9 de junho de 2016

Curso de Criatividade do Murilo Gun. Não façam! Corrão dessa cilada!



Iaê? Blz?!

Resolvi gravar esse vídeo para falar o que achei do curso do Murilo Gun. Saca ai:



#murilogun #criatividade #reaprendizagemcriativa #habilidadescriativas #futurodoemprego #cursoonline #choquederealidade

Até a próxima!

Com PERNAMBUCANIDADE

Abraços

terça-feira, 7 de junho de 2016

O quanto o mundo vai mudar? O quanto os empregos vão continuar mudando? E você com isso?

Iaê?! Blz?!


Já parou para pensar o quanto o mundo está mudando? E como os empregos mudaram ao longo dos últimos? Os que sumiram, os que estão quase extintos, mas também as novas oportunidades de empregos que surgiram?

As empresas precisaram mudar e se adaptarem a tantas inovações e especialmente as novas exigências das gerações que consomem de forma diferente e que precisam de causas para se engajarem nas organizações.


O que mais vem por ai? Onde vamos parar? O que será que fizemos que nossos filhos vão rir de nós ao sabermos, de tão insignificante que aquilo vai ser pra ele? Lembram do datilografo?





 Invista um tempo assistindo esse vídeo sobre as tendências para o futuro


#criatividade
#inovação #futuro #tendênciasparaofuturo #futurodoemprego #empregos

Com PERNAMBUCANIDADE

Até a próxima

Abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaços

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Síndrome da vinheta do Fantástico

Iaê?! Blz?!




Pessoal, como é domingo a noite de vocês? Como vocês se sentem quando escurece? Quando toca a música do fantástico?

Já ouviu falar da síndrome do domingo à noite ou Síndrome da vinheta do Fantástico?

Quando era pequeno era a dos trapalhões – o programa  começava e eu já ficava triste pois sabia que ia dormir quando acabasse kkkkkkkk.


Mas já parou para pensar como isso influencia sua vida e sua produtividade semanal? Invista um tempo assistindo esse vídeo e faça uma reflexão sobre isso.




PROUPE versus AUTARQUIA: Sonho de bolsistas do Proupe ameaçado por falta de pagamento do Estado de PE

Autarquias estão sem receber verba do governo há três meses.

Alunos temem que isso comprometa a formatura


Rodrigo Amaral, 26 anos, mora na zona rural de Custódia, Sertão pernambucano. Cícera de Cássia, 21, também é sertaneja de Afogados da Ingazeira. Maria de Lourdes Gomes, 30, vive em um sítio em Canhotinho, no Agreste do Estado. Sãofilhos de agricultores e os primeiros (ou únicos) da família a ingressarem na faculdade, graças a bolsas que recebem do Programa Universidade para Todos de Pernambuco (Proupe).

Eles vibram com a possibilidade de conseguir diploma para construir um futuro diferente dos seus pais ou avós, que mal terminaram a educação básica e sobrevivem do que brota da terra. Mas os sonhos deles podem ser  interrompidos porque as instituições em que estudam – todas autarquias municipais – estão acumulando dívidas e atrasando salários de professores e funcionários devido ao não repasse regular da verba do programa, criado e mantido pelo governo estadual desde 2011.

Já são três meses sem receber (março, abril e maio), o que representa cerca de R$ 4,2 milhões ainda não pagos pelo Executivo este ano. A parcela de fevereiro foi quitada no último dia 25. O problema começou no ano passado, quando os atrasos também foram frequentes.

Das 13 autarquias existentes em Pernambuco (com 20 mil alunos no total e apenas uma localizada no Grande Recife), quatro têm mais de 70% do corpo discente como bolsista do Proupe: Aeset, de Serra Talhada (84%); Aemasul, de Palmares (73%); Aesa, de Arcoverde (72%) e ABCDE, de Belém de São Francisco (71%).



O programa, lançado pelo então governador Eduardo Campos, beneficia atualmente 8.808 jovens e foca sobretudo na formação de professores. Começou com 6 mil bolsas, duplicou esse número em 2014 e desde o ano passado vem diminuindo a oferta. A meta do governo é terminar o ano com 7.916 bolsistas.

“Serviços essenciais para o funcionamento das autarquias, como água, energia e internet, não estão sendo pagos. O atraso do governo compromete também a folha salarial, desestrutura investimentos e prejudica a implantação de novos cursos”, ressalta o presidente da Associação das Autarquias de Pernambuco (Assiespe), Rinaldo Remígio, que dirige a Facape, em Petrolina, no Sertão.

As autarquias de ensino são entidades de direito público, sem fins lucrativos e autônomas, ligadas às prefeituras.

Juridicamente podem cobrar mensalidades porque embora sejam consideradas públicas não são mantidas pelo poder Executivo.

O Proupe surgiu na época em que as autarquias estavam financeiramente mal. Além de contribuir para a manutenção e melhoria das instituições, o programa possibilita aos jovens carentes de fora do Grande Recife a chance de ingressar no ensino superior e os estimula a se tornarem professores, principalmente em áreas críticas de mão de obra docente como na disciplina de matemática.

Segundo a Assiespe, com o Proupe houve um crescimento de 21,6% na quantidade de alunos (maior parte em cursos de licenciatura) e redução de 70% para 5% na taxa de evasão. Outro aspecto positivo da iniciativa é contemplar vestibulandos que ficam de fora das concorridas seleções das Universidades Federal (UFPE) e Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), interiorizadas uma década atrás; da Universidade de Pernambuco (UPE), que se expandiu também dez anos atrás; e da Federal do Vale do São Francisco (Univasf), implantada em 2002 em Petrolina.

DESAFIOS - Lourdes é casada e mãe de um adolescente. Adiou o desejo de ingressar na faculdade por causa da família. Agora cursa o 5º período de enfermagem na autarquia de Belo Jardim (cerca a 75 km de Canhotinho). Sai de casa às 4h50 para 7h30 chegar na instituição de ensino. Paga por mês R$ 300 de transporte entre as duas cidades. Mais R$ 6 por dia do sítio Olho d’Água, onde reside, até Canhotinho. “Minha mãe me ajuda com as despesas do curso porque meu marido é agricultor. Sem o Proupe, eu e 90% da minha turma não teríamos como estudar”, afirma Lourdes.

Cícera está no 7º período de pedagogia na autarquia de Afogados da Ingazeira. Antes cursou normal médio (antigo magistério). Divide a graduação com aulas que leciona numa escola municipal. “Meus pais, como os de muitos dos colegas, vivem da agricultura. Com a seca, poucos conseguem ganhar dinheiro e nos ajudar. As bolsas do Proupe são a nossa chance de planejar um futuro melhor”, observa Cícera.


“Ao me formar, estarei realizando um sonho meu e de meu pai. Ele sempre trabalhou na roça. Não terminou a 2ª série. Uma das alegrias dele é me ver na faculdade. Só tentei o vestibular porque havia o Proupe. Moro em Custódia e a faculdade fica em Arcoverde (distante cerca de 80 km). Gasto uma hora, de ônibus, para chegar na autarquia”, conta Rodrigo, aluno do 7º período da licenciatura em história. “Me vejo professor, ensinando. O governo não deveria enfraquecer o Proupe. Do jeito que a educação vai, o certo seria fortalecer o programa”, opina Rodrigo. 



quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Hotel Village, um hotel com muito a ensinar!

Iaê? Blz?

Vocês já leram o texto um fósforo, uma bala de menta, uma xícara de café e um jornal ? Pois é, pela primeira vez senti que estava vivendo ele, na prática, ao chegar no Hotel Village Porto de Galinhas.



Já gostava e era ouvinte fiel do Podcast 45 minutos, mas depois que lançaram as promoções se eles entrassem no patreon, me tornaria “patrão” deles. A emoção já começou ao ganhar a promoção, trabalhando e ouvindo o 45 minutos por volta de 0h, e BENG, descubro que ganhei a promoção, quase acordo a esposa pra contar!



E dessas providências divinas, ganhamos num momento que precisávamos demais e que depois mostrou ser o final de semana que tínhamos que ganhar – depois posto um outro texto que vai explicar isso.



Quando ganhamos cortesia em hotel, não criamos expectativas sobre o apartamento que ficaremos, queremos aproveitar a estrutura e o quarto é um detalhe só para dormir, e como “cavalo dado não se olha os dentes” fomos pensando que seria aquele último quarto, mais ao fundo, que é menos usado, e quando chegamos BENG, quarto térreo – melhor opção para quem tem criança – com varanda e vista para a piscina. Era tão bem localizado que nosso filho, de 4 anos, podia ir para o parquinho da piscina sozinho e da varanda ficávamos olhando ele, claro que ele se sentiu o independente e adorou isso.




O ramo hoteleiro é super difícil de se trabalhar a fidelidade do cliente, pois você tem que convencer a ele viajara para o mesmo destino de novo e ainda escolher seu hotel, novamente. Então são os pequenos detalhes que fazem a diferença, afinal, piscina, espaço, ar condicionado todos nem, mas hospitalidade não. Por isso não quero me prender em tuuuuudo que o Village Porto tem: Excelente parque aquático, café da manhã super variado, opção de buffet no jantar saborosíssimo, equipe de recreação adulta e infantil, boate com música ao vivo, afinal, isso outros podem oferecer também, mas o que eles fizeram não para atender nossa expectativa e sim com a missão de supera-la e nos encantar é que vale a pena falar.       



Muitas empresas e até destinos turísticos tentam vender a ideia de serem locais hospitaleiros, mas é muito raro encontrar isso na prática. E o Village conseguiu aplicar esse termo com excelência, todos os seus funcionários – e são muitos – respiram e transpiram para os hóspedes esse conceito.


Uma recepção atenciosa e calorosa para causar uma ótima primeira impressão e ao chegarmos no apartamento as surpresas: tolhas arrumadas como cisnes, espumante, cesta de frutas (e não eram quaisquer frutas, tinha uva, kiwi, pera, maça verde). A primeira impressão já conseguiu impactar e ficamos encantados pelo hotel.



E aos longos dos dias a cada funcionário que passava por nós ou nos atendia tinha mais certeza que o conceito de hospitalidade foi passado para eles, afinal não vi nenhum com cara feia ou sem sorrir. Algo raro. E tanta cordialidade não se encontra muito por ai.



Quem tem filho, sabe como é, qualquer programação que vamos fazer, pensamos primeiro, segundo e terceiro em como eles vão aproveitar aquele momento. Depois de trabalhar 10 anos no ramo da hotelaria, 8 deles em recreação, minha preocupação era com o espaço de lazer deles. Mas eles pensam nos mínimos detalhes, até nos pratos para as crianças.



Quando escutava o João Vitor, falando da Vila Brincante e dizendo que era o melhor espaço kids de Porto de Galinhas – depois de trabalhar no Summervile, Armação, Enotel, entre outros naquela praia - claro que não conseguia acreditar, pensava que ele só falava isso por ter que divulgar. Mas, o São Tomé aqui, levou “na cara”: Fora as piscinas infantis, a Vila Brincante é, simplesmente, algo novo, único e fantástico, ficamos maravilhados, meu filho então, até hoje fala que quer para Vila Brincante, brincar no navio pirata e fazer feira no mercado deles.






Ah! E a vontade de não só atender a expectativa do cliente e sim supera-la – mesmo sendo o cliente cortesia – não pararam ai, no último dia, era dia dos pais e ganhei um mimo do hotel pela data e na hora do check out ainda ganhamos uma lembrança para tornar, ainda, mais doce nossas memórias desse fds incrível.



Ficamos tão entusiasmado e fiel ao Village, que todos os anos íamos ao SummerVille, mas depois dessa experiência e de falar os valores de um fds neles, esposa concordou que nosso hotel é o Village, o custo benefício é o melhor de Porto. Com certeza!

E para não dizer que o texto é só papo de quem ganhou cortesia, ao voltarmos no Hotel, nosso filho com 4 anos, começou a aprender a lição de economizar e a mãe disse que quando ele enchesse um cofrinho podia comprar o brinquedo que quisesse, ao completar ele me procurou e perguntei a ele: “Quer comprar um brinquedo com esse ou quer juntar outro e ir passar um fds no Hotel Village?” Adivinhem qual foi a escolha dele... e criança de 4 anos não mente.



Detalhe, importantíssimo, compartilhei essa história do meu filho no twitter, dono do hotel viu e, acreditem se quiser, deu o fds a ele e mandou eu comprar o brinquedo para o garoto. Como não ser fiel?



Claro que voltaremos esse ano, pelo menos um vez, espero duas. Quem tem filho pequeno pensa muito antes de viajar, todo o trabalho, mão de obra, quantidade de malas, a viagem em si, o momento quando volta pra casa. Tudo isso conta, mas no Village vale a pena, pois todos conseguimos desfrutar do passeio.

HotelVillage Porto de Galinhas, um local, realmente, hospitaleiro!

Com PERNAMBUCANIDADE

Abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaços

Até a próxima!


quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Promessa para 2016! Só Agora? Viva o Brasil!

Iaê?! Blz?!

Que coisa mais piegas e, com certeza, sem graça, essa “piada” depois do carnaval de: Agora que acabou o carnaval, Feliz Ano Novo!

Ah! Pqp, na 0h da quarta-feira de cinzas já tinha gente postando isso jurando que era original. Nossa, que criatividade!

Mas, enfim apesar de aqui em casa o ano ter começado dia 14 de janeiro, agora vem com força total demais e sem desculpas para mais nada, ai me lembrei da promessa desse ano.

Desde o réveillon de 2012 para 2013, resolvi que faria apenas uma promessa por ano, nada mais de várias coisas. Lembro que a primeira foi que ninguém mais ia ficar mudar minha rotina e meu dia por qualquer motivo, a não esposa, pais e filhos. Deu certo.

Para esse ano de 2016, eu e minha esposa fizemos uma promessa: “Teríamos, pelo menos 5 horas por semana para cada um”.

Quem é pai sabe bem como é isso, queremos tanto ser bons pais, ótimos pais e dar tudo aos nossos filhos que acabamos nos esquecendo de nós mesmos, e nos colocamos em segundo ou terceiro, ou quarto plano...

Então, nossos filhos estão com: um quase 5 anos e outra com 1 e 7 meses, e estamos a todo esse tempo nos negligenciando, para esse ano fizemos a promessa de que voltaremos a cuidar de nossa saúde e bem estar e com isso seremos pais, ainda, melhores.


Voltarei a nadar e ela a jogar vôley, esportes que fizemos no segundo grau e nos lembra essa época maravilhosa.

Na natação acabo participando de competições mensais, estaduais, regionais e nacionais, pela ANMPE. Mas o importante não é a competição e sim o treinamento, treino em média 1h15 por dia, de terça a sexta, e é o tempo do dia que tenho para mim, sem preocupações, aperreios, stress, só eu, Deus, meus pensamentos e a água.




Não sinto que treinar é obrigação e sim meu lazer, tanto que deveria fazer academia, pelo menos, duas vezes por semana, para melhorar meus resultados nas competições e não tenho disciplina para isso, pois essa parte vejo sim como obrigação. Esse ano vai ser triste ir para o circuito e não ter meu pai me acompanhando e torcendo por mim.


Então, voltando, minha dica para 2016 são essas:
1 – Se seu ano não começou ainda, você já perdeu um mês e meio, corra atrás;
2 – Faça apenas uma promessa para esse ano e cumpra;
3 – Se vc é pai, precisa ter um tempo para você, isso é fundamental para sua qualidade de vida e desempenhar melhor suas funções, NÃO ABRA MÃO DESSE MOMENTO!

Com PERNAMBUCANIDADE

Abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaços

Até a próxima!

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

As lembranças de uma redação

            Iaê?! Blz?!

            Esses dias resolvi encarar um vestibular e, claro, que teve uma redação e o tema: “Não queira ser o melhor, procure ser o mais simples, pois até as maiores das árvores nasce na raiz” ou seja, viaje da porra.



            Mas enquanto fazia todo aquele processo de escrever, reler, corrigir, mudar verbo, tirar as palavras repetidas para só depois passar a limpo (e que saco essa parte), acabei gastando 1h20. Mas deu certo, passei.

            Só que mais do que isso, quando peguei a redação para começar a escrever, me passou um filme pra escrever, quantas redações já tive que fazer, todo o stress do primeiro ano que fiz vestibular, os concursos que prestei. Os concurso de redação na escola para incentivar a escrita.

            Se as pessoas não querem mais nem ler, quanto mais escrever!



            Na verdade nunca gostei muito de ser concurseiro, fiz só os que realmente me interessavam, para professor de IF ou de UF e um que era uma vontade que tinha realmente, para ser controlador de trafego aéreo e, quase sempre bati na trave, assim como meu vestibular de Hotelaria. Sempre ficando por 1, 2 ou no máximo 3 posições de ser chamado. Bem frustrante! Fora o concurso que passei na AESGA.  E parei por aqui, não pretendo continuar estudando até o fim da vida buscando sempre um concurso que pague melhor. Prefiro me dedicar para crescer na minha IES.


            Mas depois de escrever tanto na redação do vestibular, e ficar com a mão e dedos doendo, fiquei pesando em quem escreve nos dias de hoje? (kkkkkk). Tanta tecnologia mas certas coisas vão demorar muito a mudar, continuaremos vendo ENEM e concursos feitos a moda antiga, pessoal só avança na tecnologia para trapaçear.

            Com PERNAMBUCANIDADE
            
Abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaços
           
Até a próxima!

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Sobre uma segunda Graduação!



Iaê?! Blz?!


            Desde o mês de Janeiro venho fazendo uma reflexão e pensando seriamente sobre encarar uma segunda graduação. Sou formado em Turismo – curso que não queria, na verdade tentava hotelaria, mas acabei me apaixonando pela área – mas agora, mesmo depois de 2 especializações e um mestrado, sinto que tenho que fazer uma nova graduação, antes de pensar em um doutorado.
            Lembro que antigamente – e não muito tempo atrás, no máximo uns 15 anos – a pressão em cima do jovem que ia fazer vestibular era ENOOOORME, e não bastasse tudo que permeia esse momento, o grande desafio era: “Você está escolhendo a profissão da sua vida! Escolha bem o curso, veja se é isso mesmo que você quer!”
            Porra! Como assim? Qual jovem de 17, 18 ou no máximo 19 anos – sem falar dos prodígios que terminam o ensino médio com 15 ou 16 anos – sabe o que quer fazer pra vida inteira? Refazendo a pergunta: Hoje em dia quem saber o que quer pra vida inteira? Ou melhor: O que é vida inteira?
            Era pouco comum encontrarmos pessoa que tinham 2 graduações, e sempre que isso acontecia, a maioria das pessoas, olhava com um ar de grande admiração. Atualmente já é bem mais simples em comum.
            Em uma geração onde as pessoas não pensam muito a longo prazo e nem tem tesão em projetos longos, não é uma decisão simples, são 4 anos – 4-A-N-O-S - (a idade do meu filho mais velho) comprometido com algo. Por isso antes de encarar, de verdade, essa “empreitada” conversei bastante com minha esposa (planejamento familiar é isso!), afinal é a economia  e o tempo da família que será modificado, além das tarefas domésticas que terão que ser revisadas.
            Confesso que sempre brinquei com minha esposa que um dia faria outra graduação só para voltar ao clima universitário (kkkkkk – ela sempre odiou essa história), mas depois que a vida vai passando e os compromissos aumentando nem pensei em mais nada disso.
Administração, até passou pela minha cabeça, quando estava acabando a graduação em Turismo pensei, seriamente, em emendar outra graduação, mas descobri a especialização em Lazer e achei que era o momento dela, não me arrependo!
Meu futuro profissional, e bem estar social da família, me fez tomar essa decisão, confesso que nem estou tão afim de cursar Administração, mas sei que é necessário e preciso me convencer disso para me dedicar esses 4 anos e nem pensar em desistir no meio do caminho.
Vestibular feito, matrícula também, agora é aguardar dia 15/02 para encarar esse desafio!

            E você? Já encarou uma segunda graduação? Como foi?

            Até a próxima!

            Abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaços

            Com PERNAMBUCANIDADE