segunda-feira, 23 de novembro de 2009

A diferença entre a Champagne e o Espumante

Iaê?! Pessoal, blz?!

No último Post fiz algumas indicações de espumantes e ai me lembrei do meu amigo Cícero do Blog: http://www.dicasdocicero.blogspot.com e das nossas aulas de qualificação para Garçons. Quando entramos nos detalhes das bebidas e e apresentamos a diferença entre os Espumantes e o Champagne.

Fico nervoso quando vejo o pessoal dizendo que comprou Champagne para o réveillon e me aparecem com Sidra Cereser (brincadeira hein?). Esse final de semana arrumei uma discussão em um restaurante pois o cara me vendeu um champagne quando fiz a reserva e quando cheguei lá, ele me deu espumante, e ainda queria me convencer que não tinha diferença (eu aguento um negócio desse?)

Espero que ele leia esse post e aprenda a diferença entre essas duas bebidas. Então vamos curtir a champagne...

O champagne e o espumante ganharam espaço no século 18 quando surgiram as garrafas mais resistentes e as rolhas capazes de suportar a pressão do vinho fermentado.

Todo Champagne é vinho espumante, mas nem todo vinho espumante é um Champagne.

O Vinho espumante é o produto cujo anidrido carbônico é resultante, unicamente, de uma segunda fermentação alcoólica do vinho, em garrafa (Método Champenoise) ou em grande recipiente -tanques de pressão- (Método Charmat), com graduação alcoólica de 10° a 13° GL, com pressão mínima de três atmosferas.

O champagne ou champanhe é um vinho branco espumante mundialmente conhecido e produzido na região de Champagne-Ardenne, no nordeste da França. Feito através da fermentação da uva (Pinot Noir, Pinot Meunier e/ou Chardonnay). Costumam classificá-lo como o "Rei dos Vinhos".

A EXPRESSÃO "CHAMPAGNE" REFERE-SE A REGIÃO FRANCESA DA CHAMPAGNE, E SOMENTE OS ESPUMANTES PRODUZIDOS NESTA REGIÃO PODEM LEVAR ESSA DENOMINAÇÃO, SENDO PORTANTO UM PLEONASMO UTILIZAR A EXPRESSÃO "CHAMPAGNE FRANCESA".

Nas demais regiões produtoras os espumantes recebem outras denominações: Cava (Espanha), Spumante (Itália), Sparkling Wine (Estados Unidos), Espumante (Brasil e Portugal).

Serviço

Para se servir um champanhe deve-se ter atenção à alguns preceitos básicos. O primeiro diz respeito à temperatura, que deve se situar em torno dos 8°C. Para se atingir esta temperatura, bastam cerca de 20 a 30 minutos num balde com água e gelo ou 3 horas de refrigerador. Não coloque seu champanhe no freezer.

Não queira abrir a garrafa como na fórmula 1, balançando a bebida e estourando a rolha, pois isto tem como conseqüência a perda do perlage (as preciosas bolhinhas). Para abrir o champagne, retira-se a gaiola (armação de arame sobre a rolha) e com um guardanapo pressiona-se a rolha de todos os lados até que se desprenda totalmente, abafando o estouro com o próprio guardanapo. Abra a garrafa com um suspiro. Por último, sirva na taça adequada, a do tipo flûte (na foto acima), previamente esfriada, a taça certa é importante, pois taça flute impede que “as bolhas” saiam rapidamente. E de preferência deve ser de cristal transparente (que não seja colorida) e lisa, para não ocultar a bela visão da bebida e a mágica liberação de suas bolhas de gás.

Como beber (isto é muito importante)

A primeira regra é beber com moderação. Não vá querer tomar um porre de champagne!

Segure a “flûte” pela haste e não pelo bojo. Segurar uma taça pelo bojo é gafe. E ajuda esquentar a bebida mais rapidamente.

Não virar a taça para tomar até o último gole. Pelo contrário, beber bem devagar, sorvendo pequenos goles. Não banque o pobre desesperado que nunca tomou isso e sabe que não vai tomar outra vez!

Na hora de brindar, basta erguer as taças. Não há necessidade de tocá-las. Lembre-se que cristal, se você fizer isso correr o risco de quebrar.

Quando estiver comendo, limpe a boca com o guardanapo antes de beber, para não sujar a taça e interferir no paladar da bebida.

Principais dicas para comprar Champagne, espumante e Vinho

A aproximação das festas de final de ano intensifica o consumo de bebidas alcoólicas, o vinho e o champagne são as principais escolhas do período. Algumas dicas de compra e etiqueta são essenciais para quem deseja comemorar o Natal e a chegada do Ano Novo em grande estilo e longe de ressacas deixadas por bebidas de qualidade inferior.

  • Você deve sempre comprar vinhos em lojas especializadas ou supermercados onde haja grande rotação dos produtos e que contem com a presença de vendedores que poderão lhe ajudar na escolha e compra dos vinhos.
  • O vinho é a uma bebida viva e, por isso, exigente! O ideal é que as garrafas estejam deitadas ou inclinadas, com os rótulos para cima e os gargalos voltados para fora, para que sejam facilmente identificadas e pouco manuseadas.
  • Você deve dar preferência aos vinhos que indiquem no rótulo sua procedência, safra (idade) e tipo de uva utilizada em sua produção. Quanto mais informações o rótulo possuir, mais qualidade terá o vinho!
  • Jamais compre vinhos desconhecidos em grande quantidade. Procure comprar uma garrafa para degustar antes de uma compra maior. Neste caso, adquira-os em caixas fechadas como garantia de conservação do produto.
  • Após a compra, evite armazená-los, em casa, próximos a produtos com odores fortes como inseticidas e materiais de limpeza, porque os odores podem passar para os vinhos, prejudicando-os e alterando seus sabores e aromas.
  • A geladeira entra em cena somente no dia da festa, para resfriá-los. Nunca coloque vinhos no freezer, pois o risco de congelá-los é grande. O descolamento dos rótulos também contribui para o distanciamento de congeladores. Em caso de sobras em algumas garrafas, é indicado consumir esses vinhos, no máximo, em três dias.
  • Outra dica importante para dia de festa é ter algumas jarras e taças de água à disposição dos convidados. A água é a principal companheira das bebidas alcoólicas porque hidrata o corpo e ameniza os efeitos do álcool.

Quer impressionar alguém? Então abra a garrafa de Champagne com uma espada. Não recomendo fazer isso em casa sem a ajuda de um especialista não, ok? Assista ao vídeo abaixo.

video

Não há habitualmente celebração de vulto em que o champanhe não esteja presente, tendo-se tornado o vinho das festas por excelência.

E termino este post com duas frases celebres sobre o champagne:

“Na vitória a mereço; na derrota, preciso dela”. (Napoleão Bonaparte, que foi o responsável por apresentar esta bebida ou mundo.)

“Venham! Estou bebendo estrelas”! (Dom Pierre Pèrignon)

Até a próxima. Abraaaaaaaaaaaaaaaaaaaço

Com PERNAMBUCANIDADE

Nenhum comentário:

Postar um comentário